quarta-feira, 23 de outubro de 2013

O que pensam/falam de mim, importa? - Parte 2 (Morte do Champignon)


Queridos bons leitores, desenvolvo esse artigo tratando mais uma vez do efeito psicológico que permitimos acontecer conosco mediante a opinião alheia. Fiquei realmente atordoado em saber de uma provável vítima, o Champignon, ex-baixista da banda Charlie Brown Júnior. Depois da morte do Chorão, vocalista da banda, Champignon e os integrantes da banda decidiram criar outro grupo musical, cujo qual, Champignon passou a ser o vocalista. Alguns meses depois, na madrugada de 9 setembro de 2013 pra ser mais exato (segunda-feira), ele foi encontrado morto em sua própria casa. Infelizmente, tudo indica que este homem cometeu suicídio com um tiro na cabeça. Quero citar um fator, não determinante, mas fortemente influenciador. Segundo as mídias, poucas horas antes de morrer ele desabafou com um amigo sobre ter recebido críticas em relação a nova banda, A Banca. Disse que, na manhã de domingo, entrou em seu facebook e viu uma montagem postada mural, em que o acusava de “Judas”. Judas Iscariotes era um dos doze discípulos citados na Bíblia, conhecido na história cristã por ter sido o traidor de Jesus. (...)"Era a foto nova de A Banca, escrito em cima: 'Os Mercenários'. Na frente do Champ escreveram 'Eu sou Judas' – diz o Perí Carpigiani”. Logo depois, ao prosseguir uma conversa por telefone com seu amigo, o Perí, Champignon afirma: “A galera não sabe pelo que a gente está passando”.
            Champignon era reconhecido como um dos melhores baixistas do Brasil, e seu talento era indiscutível. É claro que existem traços de personalidades e várias subjetividades, mas quero focar num ponto crucial já citado em outros artigos. “O que vão falar ou pensar de mim?”. Sempre tratei esse assunto com seriedade, já que o tratava como uma barreira que não permitia realizar sonhos, amores e prazeres. Mas agora vejo que o negócio é mais embaixo, além de não permitir viver uma vida que vale a pena, tem aparecido como forte influenciador no suicídio. Não vou repetir o estudo já realizado, você pode encontrá-lo no blog. Separei conselhos e filosofias de grandes homens da história da humanidade, um ensinamento em comum que todos eles deram para sermos felizes, sonhadores, firmes e termos uma vida de verdade.

Não tente adivinhar o que as pessoas pensam a seu respeito. Faça a sua parte, se doe sem medo. O que importa mesmo é o que você é.
-Mahatma Gandhi

(...) Não deixe o ruído da opinião alheia sufocar sua voz interior. Tenha coragem de seguir seu coração e sua intuição. Eles de alguma forma já sabem tudo que você quer se tornar, tudo o mais é secundário.
-Steve Jobs
O caráter é como uma árvore e a reputação como sua sombra. A sombra é o que nós pensamos dela; a árvore é a coisa real.
-Abraham Lincoln 

"Preocupe-se mais com a sua consciência do que com sua reputação. Pois a sua consciência é o que você é, e a sua reputação é o que os outros pensam de você .E o que os outros pensam, é problema deles".
-Bob Marley
 
Não dê atenção a todas as palavras que o povo diz, caso contrário, poderá ouvir o seu próprio servo falando mal de você; pois em seu coração você sabe que muitas vezes você também falou mal de outros. (Ec 7:21,22)
-Salomão

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Ame mais as pessoas e menos suas próprias ideologias


Talvez eu não seja quem sempre quis ser. Pode ser que meu querer tenha me afastado de mim. Como é supérflua a imaginação que se deixa moldar, perder as asas, deixar de voar. Quis sim ser popular, o centro, ter atenção, alimentar o ego. Não somente quis como consegui. Apesar de nunca ter sido meu real desejo, era o que o mundo dizia ser. Me senti surpreso ao conquistar todos esses objetivos e continuar como se não houvesse conquistado nada. O vazio continuava. Temos a necessidade de transcender, de pelo menos sentir estar vivo. Negamos o óbvio e buscamos as maiores emoções.
Não quero citar o clichê de que tentei ser normal e não consegui. O fato é que minha normalidade é diferente da sua. Sinto dor e você também, amamos e odiamos, sorrimos e choramos, emocionamos e pensamos. Temos os mesmos sentimentos, as mesmas emoções e as mesmas composições, é o que nos torna semelhantes. A diferença é para onde e quem direcionamos o que sentimos, e independente de quem seja, não vai tornar melhor ou pior.
Quando entendermos que somos pessoa iguais com direções diferentes passaremos a aceitar o outro com amor, ou pelo menos respeitar. Se um dia nos dermos conta de que humanos não são máquinas e que ideologias são apenas ideias. Quem dera entendermos que as dores, os amores, os sorrisos e os choros são por motivos diferentes, mas a sensação é a mesma para todos. Se me mostrares alguém que nunca chorou por amor, ou nunca odiou, e me mostrares que ele não vai sentir dor quando for magoado, se sentir forte quando for amado, nem querer gritar de alegria quando seu time do coração for campeão, ah se tu me mostrares eu abandono a minha ideologia. Pois aprendi que a ideologia está abaixo do amor, e a concretizo nessa frase: “Ame mais as pessoas e menos suas próprias ideologias”.
Anseio mostrar ao mundo que as regras existem e são boas, elas nos auxiliam e ajudam a ter boas relações. Mas quero que entendam também, se elas precisarem ser quebradas para amarmos uns aos outros e não fazer mal a nós mesmos e a outro ser humano, se elas não forem contra princípios morais, se segui-las fanaticamente não permitir que você ame e faça o bem, aprenda que exceções, de quando em vez, precisam ser usadas.

quinta-feira, 28 de março de 2013

Queira ser quem tu és e lute por isso!


Só se entende que os momentos formam a vida quando você os vive, e vivê-los intensamente faz-nos eternizá-los. Seja no sorriso que se abre ao lembrá-lo ou nas indescritíveis sensações que lhe trazem. Não é questão de ser seguro ou arriscado, nem de certezas ou incertezas, mas de acreditar, arriscar e viver! Trata-se de ter fé e desfrutar tudo o que a vida tem a lhe oferecer. Trata-se de aceitar ser quem você é, pois tu és o único que pode viver a tua própria vida.

“Por que minha felicidade deveria depender dos pensamentos que surgem na cabeça de outras pessoas?” (Ralph Waldo Emerson)

Amigo bom leitor, preciso admitir, tenho uma leve admiração por perguntas. Elas são empolgantes e tem o poder de levar o ser mais desmiolado a fazer o que os filósofos fazem, PENSAR! A escolha é sua, pode se tornar um ser moldado pela sociedade e o pensamento alheio ou tornar-se cada dia mais você mesmo. Pense numa pessoa que tu admiras muito. Pensou? O Faustão não vale... Agora pense, qual opção ela escolheria?

Se for a primeira, quero lhe dar o conselho do momento, troque imediatamente de referência. É sério, mude enquanto há vida para ser vivida!

Ser você mesmo não é se acomodar em seus defeitos e dizer “eu sou assim”. É reconhecer que tens uma personalidade inimitável e que o desafio da vida é tornar-se em essência quem nasceste pra ser buscando satisfação e alegria, corrigindo dia a dia leve e suavemente seus defeitos reconhecidos. Afinal, ninguém é perfeito, mas não há quem não tenha capacidade de mudar e crescer.

É magnífico observar as crianças, elas não se importam com o que dizem. Elas pensam: “Eu quero atenção, afeto e leite materno”. E o que elas fazem? Choram até conquistarem seus objetivos. Por quê? Porque é a maneira delas de lutarem por aquilo que querem. E não interessa se os outros aprovam, pouco importa se estão falando bem ou mal. Eles lutam por aquilo que querem e os fazem bem.

Acredito que um dos mais sábios conselhos da vida é: “Torne a ser uma criança”. Você cresceu e o mundo roubou de você os sonhos, a imaginação, a coragem, a ousadia e a vontade de arriscar e ser feliz. A deformação foi tornar mais importante o que vem de fora e apequenar o que está dentro.

“Considerando que a cauda é uma pata, quantas patas tem um cão? Quatro. Chamar a cauda de pata não transforma em pata.” (Abraham Lincoln)

A visão dos outros nem sempre vai dizer quem você é, na verdade quase nunca. Te chamarem de alguma coisa, não te transformará nessa coisa. Pense, sinta e viva!