sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Expressão, a melhor forma de ser você


Expressar – Manifestar sentimentos ou expressões por palavras ou gestos.

Se me perguntarem o que acho mais incrível no ser humano eu diria: as diversas formas de expressão. Se não as tivéssemos a vida perderia grande parte do simples e incrível gosto que tem. Minha preocupação realmente tem sido essa: perder a melhor parte da vida por medo de expressar-se.

O problema da humanidade tem sido a direção mental que tem tomado. Esses constantes crescimentos urbanos e sociais nos têm levado a querer sempre ganhar, vencer e tirar vantagem, mesmo que isso custe passar o outro pra trás. Isso é realmente preocupante, pois quanto mais esse pensamento cresce, menor fica o valor dos conceitos morais (socialmente falando). O foco é que, essa troca de valores está nada mais nada menos que nos fazendo sofrer.

Os acontecimentos procedidos de egoísmo exacerbado sempre levam a um caminho de solidão, que está diretamente ligado a isolamento. E por que nos isolamos? Por vários motivos, mas podemos resumir em algumas frases:
 “Já pisaram muito em mim, ninguém pisa mais”. “Fui ferido, sofri demais, chega!”
É neste momento que nos isolamos, simplesmente para evitar que aconteça novamente. Vale lembrar que isso é natural, nosso cérebro trabalha assim, buscando os caminhos mais seguros para evitar possíveis frustrações. Porém, a satisfação não reside totalmente nisso. Antes de querer que seus caminhos sejam seguros, você quer que eles sejam felizes. Foi por isso que um dia você sonhou, por isso voou tão alto a ponto de viajar nos pensamentos sem medir consequências, apenas por sonhar.

Nascemos naturalmente egoístas e os maiores sofrimentos são causados por outras pessoas, pelo que fazem conosco. Mas tente lembrar, a maior felicidade foi causada por outro ser humano também, ou não? O ser que nos decepciona, rebaixa e entristece é o mesmo que pode nos fazer feliz, elevar e alegrar. Um dia nos entregamos e sofremos, hoje, para evitar que se repita, nem nos entregamos mais.

Seja sincero consigo mesmo, chore quando tiver que chorar, mas não se prive de sorrir. Somos felizes quando nos abrimos aos sentimentos, evite isolar-se, deixe as pessoas chegarem a você. Quando adotamos a postura de isolamento atrofiamos a alma, fechamos o coração e nos candidatamos a viver uma vida cínica e monótona, nos tornamos insensíveis, especialistas em achar defeitos em tudo que pode ser belo. Mágoas e feridas, que utilidade elas têm? Quando você se isola, não permite que ninguém te machuque, mas também que ninguém te faça mais feliz.
“Pelo sim pelo não, para não correr riscos, chega!”.  É realmente isso que quer?

Não conheço quem queira viver assim, sem confiar em ninguém, sem receber sentimentos. Não se pode parar de sofrer, mas podemos aprender a lidar com o sofrimento. Somos um ser em constante crescimento, queremos sempre mais e mais. Hoje você ama uma pessoa, logo mais amará tal pessoa e seus filhos, futuramente, acrescentará amor aos netos. A vida é assim e viver requer correr riscos. Não digo para se entregar às primeiras circunstâncias emocionais que lhe aparecer, mas te aconselho a se permitir ser humano.

“Viver é um eterno desafio de manter-se vulnerável. Se quiser viver uma vida bonita prepare-se para rir e chorar, pois fechar-se para isso é fechar-se para a vida.” (Ricardo Gondim)

Permita-me repetir. Chore quando sentir vontade de chorar, ria quando quiser rir. Seja vibrante com boas notícias e bons momentos, decepcione-se quando não for. Qual o problema? Sua imagem? Quebre a expectativa de seus inimigos sendo apenas quem você é. “Ser simples é ser incrível” (C. Lispector). Não use máscaras, nem crie personagens, seja você e não a representação que esperam. Não somos poderosos, não somos fortes, nem somos inquebráveis. Sofremos por coisas bobas, nos decepcionamos por detalhes e às vezes choramos sem saber por quê. Entretanto, o inverso disso é o que nos alegra, as coisas bobas e os detalhes, mas com sentimentos e expressões totalmente diferentes. O desafio de vida é manter sua humanidade.

É uma honra poder finalizar com este trecho de um de nossos grandes poetas brasileiros.
Vinícius de Moraes
A maior solidão é a do ser que não ama. A maior solidão é a dor do ser que se ausenta, que se defende, que se fecha, que se recusa a participar da vida humana. A maior solidão é a do homem encerrado em si mesmo, no absoluto de si mesmo, o que não dá a quem pede o que ele pode dar de amor, de amizade, de socorro. O maior solitário é o que tem medo de amar, o que tem medo de ferir e ferir-se, o ser casto da mulher, do amigo, do povo, do mundo. Esse queima como uma lâmpada triste, cujo reflexo entristece também tudo em torno. Ele é a angústia do mundo que o reflete. Ele é o que se recusa às verdadeiras fontes de emoção, as que são o patrimônio de todos, e, encerrado em seu duro privilégio, semeia pedras do alto de sua fria e desolada torre.

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

O que impede grandes conquistas?


Gosto de fazer perguntas porque elas têm o poder de nos fazer pensar. O cérebro trabalha para respondê-las e isso não depende de uma autorização consciente. Por isso sempre faço perguntas, o objetivo é te fazer pensar. Não qualquer pergunta, perguntas específicas. Se modificar suas perguntas suas respostas mudam, e consequentemente, sua visão de vida e mundo também.

O que impede grandes conquistas?

Não há uma resposta única, a vida humana é subjetiva. Mas costumo dizer: Temos mais semelhanças que diferenças. Então analisando a grande massa esmagadora, temos variadas coisas em comum que impedem nossas conquistas. Talvez seus motivos sejam diferentes, mas sempre há algo o impedindo de fazer. Porém, saber identificar o que é e que precisa lutar já é ótimo! Isso é o que faz os Conselhos Versáteis.

O que é uma grande conquista?
Uma brilhante carreira profissional, uma família bem-estruturada e feliz, um amor pra toda vida, popularidade e reconhecimento, satisfação e prazer?
Isso é totalmente subjetivo, apesar de estar ligado ao que muitos seres humanos querem. Freud disse que tudo em nós emana dois motivos: a necessidade sexual e o desejo de ser grande. Traduzindo e facilitando o entendimento, todos nós temos o desejo de ser importante, vamos focar neste. Não digo que todos querem ser Presidente da República, mas que pelo menos a alguém queremos ser importantes. Esse desejo transcende o capricho e passa a ser uma necessidade, que convenhamos, é saciada por poucos (ou ninguém). Isso me leva a pensar que, minhas conquistas dependem inicialmente apenas de mim e posteriormente da maneira que trato as pessoas. Dar o primeiro passo é realmente importante e isso é pessoal, tudo depende do que você quer.

O que realmente impede nossas conquistas somos nós mesmos em nossas várias formas de ser. Quer ter um bom emprego? Inevitável estudar (salvo raras exceções). Quer ter popularidade e reconhecimento? Aprende a se socializar. Quer ter uma carreira brilhante? Saiba praticar a teoria e sair da mesmice. Quer ser importante? Faça alguém ser importante a você. Quer ter uma família? Tem que aprender a amar. Quer amar alguém? Tem que aprender a conquistar. Quer continuar amando? Tem que aprender a ser fiel e cultivar.

Não existe um auge de perfeição, sempre teremos o que aprender e muita coisa pra mudar. Inteligente é aceitar as coisas como elas são. O mundo não vai ser moldado aos seus pensamentos, não importa o quanto sejam bons. Nem se importar com seus sentimentos, não importa o quanto esteja sofrendo. Não digo para deixar seus conceitos de lado, antes, porém, entenda, há grande possibilidade do mundo não segui-lo nem respeitá-lo e é neste lugar que você vive.

A timidez de falar, o medo de agir, a angústia de querer e não fazer, a limitação imaginária, a incerteza das consequências, o receio da crítica. O que mais te impede de ser feliz?

Tenha ousadia! Em suma, o que te impede de ganhar pode ser, muitas vezes, o medo de perder.