sexta-feira, 12 de julho de 2013

Ame mais as pessoas e menos suas próprias ideologias


Talvez eu não seja quem sempre quis ser. Pode ser que meu querer tenha me afastado de mim. Como é supérflua a imaginação que se deixa moldar, perder as asas, deixar de voar. Quis sim ser popular, o centro, ter atenção, alimentar o ego. Não somente quis como consegui. Apesar de nunca ter sido meu real desejo, era o que o mundo dizia ser. Me senti surpreso ao conquistar todos esses objetivos e continuar como se não houvesse conquistado nada. O vazio continuava. Temos a necessidade de transcender, de pelo menos sentir estar vivo. Negamos o óbvio e buscamos as maiores emoções.
Não quero citar o clichê de que tentei ser normal e não consegui. O fato é que minha normalidade é diferente da sua. Sinto dor e você também, amamos e odiamos, sorrimos e choramos, emocionamos e pensamos. Temos os mesmos sentimentos, as mesmas emoções e as mesmas composições, é o que nos torna semelhantes. A diferença é para onde e quem direcionamos o que sentimos, e independente de quem seja, não vai tornar melhor ou pior.
Quando entendermos que somos pessoa iguais com direções diferentes passaremos a aceitar o outro com amor, ou pelo menos respeitar. Se um dia nos dermos conta de que humanos não são máquinas e que ideologias são apenas ideias. Quem dera entendermos que as dores, os amores, os sorrisos e os choros são por motivos diferentes, mas a sensação é a mesma para todos. Se me mostrares alguém que nunca chorou por amor, ou nunca odiou, e me mostrares que ele não vai sentir dor quando for magoado, se sentir forte quando for amado, nem querer gritar de alegria quando seu time do coração for campeão, ah se tu me mostrares eu abandono a minha ideologia. Pois aprendi que a ideologia está abaixo do amor, e a concretizo nessa frase: “Ame mais as pessoas e menos suas próprias ideologias”.
Anseio mostrar ao mundo que as regras existem e são boas, elas nos auxiliam e ajudam a ter boas relações. Mas quero que entendam também, se elas precisarem ser quebradas para amarmos uns aos outros e não fazer mal a nós mesmos e a outro ser humano, se elas não forem contra princípios morais, se segui-las fanaticamente não permitir que você ame e faça o bem, aprenda que exceções, de quando em vez, precisam ser usadas.